Alice Corrêa

"Eu quero ficar perto de tudo que acho certo até o dia em que eu mudar de opinião."

Bruna Caram e Filipe Catto - O Meu Amor

Ela vive reclamando dos quilos a mais na balança, do cabelo sem muito brilho e das pernas juntas demais. Vive dizendo que quando emagrecer vai ser gostosa, razoavelmente bonita e mais confiante. Posso falar a verdade? Amo todos os quilos a mais, tudo fora do lugar, até a mente desorganizada. Amo o desespero que ela inventa para ler 20 livros ao mesmo tempo ou pra dar conta da matéria do vestibular, amo quando alguém pede pra ela falar baixo e ela responde com uma voz meio tristonha: “desculpa, mas é o meu jeito” -e essa frase se repetira por inúmeras vezes-. Amo o jeito em que ela não hesita em deixar de fazer algo que não a agrade, e quer saber? Acho que já estive ao lado de mulheres com um sorriso mais bonito, um corpo padronizado e uma voz mais mansa, mas a amo mesmo assim, amo cada peculiaridade, todos os defeitos, que, para mim, são qualidades. Ela não precisa ser a mais bonita, só precisa saber que é amada. E como é.

Ela vive reclamando dos quilos a mais na balança, do cabelo sem muito brilho e das pernas juntas demais. Vive dizendo que quando emagrecer vai ser gostosa, razoavelmente bonita e mais confiante. Posso falar a verdade? Amo todos os quilos a mais, tudo fora do lugar, até a mente desorganizada. Amo o desespero que ela inventa para ler 20 livros ao mesmo tempo ou pra dar conta da matéria do vestibular, amo quando alguém pede pra ela falar baixo e ela responde com uma voz meio tristonha: “desculpa, mas é o meu jeito” -e essa frase se repetira por inúmeras vezes-. Amo o jeito em que ela não hesita em deixar de fazer algo que não a agrade, e quer saber? Acho que já estive ao lado de mulheres com um sorriso mais bonito, um corpo padronizado e uma voz mais mansa, mas a amo mesmo assim, amo cada peculiaridade, todos os defeitos, que, para mim, são qualidades. Ela não precisa ser a mais bonita, só precisa saber que é amada. E como é.

dopesiderap:

Rio de Janeiro 13/06/2013. Manifestação contra o aumento das passagens. 4° ato, e 2° nacional, 10.000 pessoas nas ruas (mas não espere ver isto na televisão) Para nós aqui da página que apoiamos e estivemos presentes nas ruas desde de o primeiro ato com 200 pessoas, pedimos, convocamos, e apelamos para que as pessoas fossem as ruas do RJ, e vermos o ato de 13/06/ desta forma, é algo que não se descreve em palavras, em registros podemos até tentar conseguir, talvez…vocês nos orgulharam, o povo…pelo povo! E esse, é o combustível do ideário Anon, o poder ao povo!

dopesiderap:

Rio de Janeiro 13/06/2013. Manifestação contra o aumento das passagens. 4° ato, e 2° nacional, 10.000 pessoas nas ruas (mas não espere ver isto na televisão) 

Para nós aqui da página que apoiamos e estivemos presentes nas ruas desde de o primeiro ato com 200 pessoas, pedimos, convocamos, e apelamos para que as pessoas fossem as ruas do RJ, e vermos o ato de 13/06/ desta forma, é algo que não se descreve em palavras, em registros podemos até tentar conseguir, talvez…vocês nos orgulharam, o povo…pelo povo! E esse, é o combustível do ideário Anon, o poder ao povo!

“Verás que um filho teu não foge a luta.”

- Hino Nacional Brasileiro

Ele poderia afirmar que era o homem mais feliz do mundo: Tinha uma mulher que o satisfazia e outra que o amava, tinha dois filhos lindos, um apartamento em plena Zona Sul do Rio de Janeiro e um bom emprego graças ao seu bondoso pai. O que mais um cara desse iria querer? Era bonito, boa pinta e se quisesse poderia conseguir tudo que quisesse se estalasse os dedos. Mas segundo ele não era bem assim, segundo ele a felicidade dele não existia, porque aquela mulher que amava ele, vivia numa vida remota e jamais seria dele. E todos os dias ele dizia para ela: Minha felicidade agora seria só um abraço teu. No fim das contas o que ele queria mostrar era que a vida não funciona mediante a coisas grandes, as vezes a felicidade está num abraço.

Ele poderia afirmar que era o homem mais feliz do mundo: Tinha uma mulher que o satisfazia e outra que o amava, tinha dois filhos lindos, um apartamento em plena Zona Sul do Rio de Janeiro e um bom emprego graças ao seu bondoso pai. O que mais um cara desse iria querer? Era bonito, boa pinta e se quisesse poderia conseguir tudo que quisesse se estalasse os dedos. Mas segundo ele não era bem assim, segundo ele a felicidade dele não existia, porque aquela mulher que amava ele, vivia numa vida remota e jamais seria dele. E todos os dias ele dizia para ela: Minha felicidade agora seria só um abraço teu. 
No fim das contas o que ele queria mostrar era que a vida não funciona mediante a coisas grandes, as vezes a felicidade está num abraço.


theme: cerejadosundae. +
»